Ferramentas de esquina

Equipo: Guilherme Bruno Tiefensee Cascaes, Letícia Maria Anselmo, Sofia Marterer, Vinícius Mariot
Descripción de la propuesta

A proposta baseia-se na valorização de potencialidades locais, apostando na simplicidade e no processo participativo como inovações sociais e impulsionadores da vida no espaço público. As soluções surgem das relações cotidianas, em busca de impulsionar atividades diárias dos habitantes. Por isso, foram desenhadas a partir das principais características e dificuldades enfrentadas por pessoas nos espaços públicos de seus bairros, em especial nos territórios mais vulneráveis, durante este período de pandemia. Por se tratar de uma problemática complexa, presente em lugares com distintas características, propomos a criação de um grupo de ferramentas urbanas pontuais que possam ser aplicadas - em associação ou separadamente - conforme as necessidades encontradas, de acordo com a dinâmica social e recursos disponíveis em cada lugar. Desse modo, constitui-se o Manual de Ferramentas Urbanas, uma forma de viabilizar a atuação no espaço comum de distintas maneiras e possibilitando o autogerenciamento das condições básicas de convívio social com confiabilidade e segurança, seja por parte de um único indivíduo, um grupo ou associações de bairros. Para a construção do manual foram identificados os espaços públicos de maior risco e também as principais dificuldades, subdivididos e sistematizados em propostas de seis intervenções táticas: marcação de distanciamento, bancos com afastamento “verde”, Balanço infantil, roda de brincadeiras, pia independente, pia pública, sistema de coleta d’água. Essas intervenções levam em conta a simplicidade de execução e da baixa manutenção. Além do baixo custo, através da escolha de materiais nos quais o vírus tem baixa sobrevida - disponíveis no mercado e de fácil aquisição. São soluções táticas: simples, autônomas, sustentáveis e resilientes.

Desafío

A pandemia escancarou desigualdades socioespaciais refletidas nas disparidades de infraestrutura urbana em cidades latinoamericanas e caribenhas, impactando a qualidade de vida de toda a sociedade. Diante ao prolongamento da pandemia encaramos, no Brasil, a possibilidade de viver nessa circunstância por tempo indeterminado. A implementação de medidas de distanciamento social impactaram profundamente a vida urbana, alteraram dinâmicas cotidianas e o uso dos espaços públicos - de estar e trânsito. Os que puderam, aderiram ao home office. Mas essa não é a realidade de todos, e grande parte da população continua trabalhando para garantir sua subsistência, no mercado formal ou informal. Portanto, tão importante quanto políticas públicas, são as ações imediatas que visam garantir melhores condições de segurança para a população que segue expondo-se e, assim, retomar a confiabilidade nos espaços públicos. Em territórios vulneráveis, o desafio da construção de uma cidade mais sustentável, segura e resiliente é duplo, visto que ainda há necessidade de investimentos básicos. Assim, soluções táticas nesse locais mostram-se urgentes, visto que em tempos de variadas limitações, elas mostram-se factíveis e efetivas. Além disso, em cenário pandêmicos e de transição, um grande desafio é incentivar o engajamento e a organização comunitária, viabilizar do acesso à informação e a construção de novos imaginários urbanos para um espaço comum. Assim, buscamos explorar os meios para expressar o potencial transformador do espaço público através das intervenções e dos projetos de inovação social, que devem ser necessariamente inclusivos, almejando a realização da vida urbana na realização de encontro - com distanciamento - entre diferentes pessoas.

Potenciabilidad y Escalabilidad

"Tornar uma proposta escalável em tempos de pandemia e, por consequência, uma crise financeira, está associado a projetos que visem um grande nível de autonomia de execução. Fornecer alternativas simples cujo processo é claro e com mobilização social necessária para executá-las estruturou-se as alternativas propostas. É por meio dessas diretrizes que as soluções apresentam-se na forma de Manual. Oferecer opções de ferramentas de modo acessível quanto aos materiais e ao roteiro de montagem confere replicabilidade e escalabilidade ao trabalho pois auxiliam a ocupação dos espaços públicos por meios existentes nas próprias comunidades. A simplicidade das soluções conferem o engajamento para efetivá-las, auxiliam na apropriação dos espaços públicos e suas atividades que ocorrem ou voltarão a ocorrer nos bairros pela América Latina e Caribe. Para testar a autonomia de execução conferida pelos manuais, propõe-se a prototipagem na localidade da Serrinha (Florianópolis/SC - Brasil). Optou-se por este local pela relação já consolidada entre o grupo de trabalho e a comunidade. O objetivo é que, em posse dos manuais, os líderes comunitários e demais participantes identifiquem os locais adequados para a execução das ferramentas, mobilizem os interessados e executem os protótipos. A intenção de reunir um conjunto de ferramentas é disponibilizar alternativas que possam ser utilizadas em conjunto ou separadamente de acordo com a necessidade e disponibilidade de recursos de cada local. Para conferir o desempenho de todas ferramentas, o plano de trabalho incluirá o subsídio dos materiais através do recurso disponibilizado pelo concurso. A análise do processo prático é vital para construção de um trabalho capaz de afetar positivamente diferentes contextos e cumprir seu propósito. "

¿Te interesa esta idea?

País

Categoría

Temática